Arquivos

Posts Tagged ‘Franquias’

Franchising no Rio de Janeiro já representa 18% do PIB local e gerará mais 15 mil empregos Diretos até o final deste ano


Pesquisa da Rizzo Franchise revela forte crescimento das franquias no Rio de Janeiro com faturamento estimado em R$ 60 bilhões até final de 2010

O Estado do Rio de Janeiro apresentou um crescimento de quase 10% no número de franquias existentes. Hoje são 294 franqueadoras e 30.807 unidades franqueadas de diversos setores. A geração de empregos no Franchising foi uma das maiores já registradas no Rio de Janeiro: até o mês de agosto, o setor gerou 338 mil empregos diretos – um crescimento de 4,7% em relação ao ano passado. Esses são alguns dos resultados da mais recente pesquisa sobre o Franchising no Rio de Janeiro.

Os bons resultados do setor em todo o Estado, entre eles o faturamento de R$ 57,5 bilhões no início deste ano – o equivalente a 18% de todo o PIB local – tem feito alguns franqueadores priorizarem o Rio de Janeiro em seus planejamentos de expansão para abrirem novas franquias no Estado.

A pesquisa da Rizzo Franchise também apontou as melhores cidades para investir em franquias no Estado do Rio de Janeiro: 1º lugar: Rio de Janeiro; 2º lugar: Niterói; 3º lugar: São Gonçalo; 4º lugar: Duque de Caxias; 5º lugar: Nova Iguaçu; 6º lugar: Petrópolis e 7º lugar: Campos dos Goytacases.

Dados Gerais da Pesquisa sobre o Rio de Janeiro

  • Número de empresas franqueadoras: 294
  • Crescimento do número de franqueadores em relação a 2009: 8,8%
  • Número de unidades (entre próprias e franqueadas): 30.807
  • Faturamento do setor: R$ 57,5 bilhões, o equivalente a 18% do PIB local
  • Geração de empregos em 2010 (até agosto): 338 mil empregos diretos
  • Crescimento do número de empregos em relação a 2009: 4,7%
  • Estimativa do número de novos empregos até o final de 2010: 15 mil empregos diretos
  • Estimativa de faturamento do setor até o final do ano: o faturamento do setor deve chegar aos R$ 60 bilhões até o final de 2010

Fonte: blogdarizzo

Franquias de alimentação avançam fora de shoppings


SÃO PAULO – Na busca por espaços com um grande fluxo de pessoas, as franquias passam a diversificar o grupo de atuação e deixam de estar presentes apenas em shoppings e lojas de rua, pois começam a brigar por espaços em aeroportos, clubes de futebol e já disputam até mesmo os estádios onde devem acontecer os jogos da Copa do Mundo, que será no Brasil em 2014. Supermercados e hospitais são outro foco das empresas de alimentação, de olho no alto giro de consumidores nesses locais, dizem especialistas.

Um exemplo é o Shopping das Franquias, que hoje possui quatro marcas sob a sua direção, sendo que três são franquias de alimentação. A Tostare Café tem 25 lojas e prevê ter até 2013 cerca de 140 pontos. “Esta marca, depois de vencer uma licitação com a Infraero, irá começar a atuar em um aeroporto de São Paulo”, segundo o proprietário da holding, Luis Renato Bischoff. Ele ainda complementa que a cafeteria já atua em um supermercado no Rio Grande do Sul, da rede Zaffari.

A outra marca que pertence ao Shopping das Franquias é a Camarão na Rede, com duas lojas e que espera ter 90 pontos-de-venda até 2013. A outra bandeira é a franquia especializada em comida japonesa Click Sushi, com 90 pontos e meta de atingir até 2013 cerca de 200 unidades. Segundo o porta-voz do Shopping das Franquias, todas as lojas a serem abertas tendem a estar estrategicamente distribuídas. “Todas as aberturas estão focadas nos estados que irão sediar a Copa e nas principais capitais do Brasil. O crescimento será com recursos próprio”, explicou.

Ano passado o Shopping faturou R$ 9 milhões e este ano deve crescer 30%. Conforme Bischoff, a expansão deve acontecer por meio de recursos próprios e a captura de novos franqueados está na nova metodologia de pagamentos. “Hoje quem já está em qualquer lugar do País com uma marca nossa poderá abrir mais um ponto e parcelar em 36 vezes por meio de boleto. É um acordo de confiança entre nós e o nosso parceiro”, enfatizou.

Seguindo a maré

Outra do ramo de franchising é a Platinan Franquias que tem sob seu guarda-chuva a rede Vanilla Café (cafeteria) e a Bon Grillê (franquia de alimentação). Ela também possui planos para investir nos eventos mundiais que começarão no País em 2014. Um dos planos da rede é investir em um treinamento diferenciado para os funcionários, como a contratação de profissionais bilíngues. Os cardápios serão disponibilizados em inglês e espanhol para facilitar o treinamento, explica o superintendente de Marketing e Novos Negócios da holding, Sérgio Freire.

O executivo diz que o plano é tudo estar pronto até dois anos antes da Copa do Mundo, no caso da Vanilla Café. “O plano de expansão pretende chegar a 100 lojas em 2012″, enfatizou o porta-voz. No ano passado, o faturamento da rede foi de R$ 25 milhões. Para 2010 a meta é crescer 20%. A cafeteria está presente em cinco estados brasileiros, e atua hoje em dia com 25 pontos-de-venda no mercado interno. O plano de expansão do Vanilla Caffè prevê a abertura de mais 8 lojas até o final de 2010. “Em breve, abriremos uma unidade Vanilla Caffè no novo Hospital Sabará, uma outra aposta inovadora”, explicou o executivo.

Segundo o porta-voz a Platinan Franquias aposta forte no crescimento do portfólio de produtos e serviços voltados à alimentação fora do lar, e com o Bon Grillê a marca inovou sua atuação ao inaugurar este segundo semestre uma loja fora de um centro de compras, no saguão principal do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, localizado na zona sul de São Paulo. Com 50 unidades no País e 15 anos no mercado de fast-food em praças de alimentação, o Bon Grillê investiu R$ 500 mil no reposicionamento da marca. No ano anterior faturou R$ 42 milhões e em 2010 deve obter um crescimento de 19%.

Mercado

Segundo pesquisa realizada pela empresa de consultoria Ernst & Young, feita em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV), a Copa do Mundo de 2014 poderá gerar um total de R$ 142 bilhões adicionais para o Brasil, nos próximos anos. A estimativa é que sejam gerados 3,63 milhões de empregos, aumentando a renda da população em R$ 63,48 bilhões, até 2014. Para o mercado varejista, as notícias são positivas e o consumo será crescente até o mundial. Porém, é necessário que os comerciantes se alinhem quanto a essa demanda e, principalmente, se atualizem em questões de capacitação, tecnologia e automação bancária.

Redes de restaurantes e de cafeterias começam a buscar a abertura de unidades em aeroportos, estádios e hospitais. A meta é ter espaços em cidades que sediarão a Copa de 2014, diz o proprietário da empresa Shopping das Franquias, Luis Renato Bischoff, que detém quatro marcas na área de fast-food. “Todas as nossas aberturas serão focadas nos estados que irão sediar a Copa, além das principais capitais do Brasil “, disse.

Uma das marcas é a Tostare Café, com 25 lojas e meta de até 2013 ter 140 pontos.

Fonte: DCI – Gleyma Lima

Sistema de franquias invade supermercados


Atentos à demanda, os supermercados abrem portas para os sistemas de franquia

Fonte: Revista INCorporativa

Os espaços disponíveis para locação nos supermercados se consolidam a cada dia como excelentes oportunidades de negócio, tanto para os empresários do ramo de franquias , quanto para as grandes redes do varejo.

Não é de hoje que as grandes redes do varejo resolveram investir em parcerias com franquias em diferentes ramos. Valorizando a praticidade, o consumidor procura sempre oportunidades para resolver o máximo de questões em um lugar só. Se é assim, porque não aproveitar a hora das compras para revelar fotos, deixar a roupa na lavanderia ou até fazer um lanche com a família?

Atentos a esta demanda é que os supermercados abrem portas para os sistemas de franquia. Nesta linha, os quiosques de alimentação tornam-se um dos modelos mais viáveis, por ocuparem pouco espaço, oferecendo, no entanto, produtos de grandes marcas. Também atenta a essa tendência, a Empada Brasil oferece um modelo de quiosque (a partir de R$ 45 mil) ideal para instalação em supermercados, shoppings, aeroportos ou centros comerciais. Quem aderiu ao negócio não se arrepende.

A secretária Thaís Negrão Vieira, 32 anos, por exemplo , investiu na instalação de um quiosque da Empada Brasil no supermercado Walmart, em Tamboré, e está comemorando o sucesso do negócio. “A maioria das pessoas que vem ao supermercado acaba passando pela loja e consumindo, no mínimo, uma empada.” conta. “Há muitos casos também em que os consumidores já vêm ao supermercado com a finalidade de almoçar em nosso estabelecimento e aproveitam para comprar algo que precisam para a casa. O giro de produtos acaba sendo muito rápido. Assim, meu objetivo é abrir novos pontos nos próximos meses. “

Todo mundo sai ganhando!

Na visão dos franqueados, o modelo de negócio é vantajoso porque o lojista pode aproveitar o movimento natural do supermercado, tendo maior facilidade de venda. A estrutura do local também conta a favor, pois o negócio estará em uma área que conta com estacionamento, segurança, banheiros etc. Outro fator é que os aluguéis cobrados são mais baixos e valor do investimento no quiosque é mais acessível. Quanto ao público, o perfil é bastante variado, o que contribui para o franqueado ampliar sua clientela. Por outro lado, para o supermercado, ofertar outros tipos de serviços, principalmente no setor de alimentação, agrega valor ao estabelecimento, atrai novos clientes e aumenta o tempo de permanência dos consumidores no local. Além disso, o supermercado ainda pode contar com uma alternativa extra de rendimento com o aluguel de espaços.

Franquia faz pequena empresa ‘pensar grande’


Projeto do Sebrae orienta empreendedores que desejam adquirir uma franquia e empresários que querem expandir a sua empresa por meio do franchising


Da Agência Sebrae de Notícias

Editora Globo

Anderson Yagi, da Jacareí Pastéis, está avaliando a viabilidade de expansão por meio de franquias

Que tal um pastel de carne com queijo? E de guariroba? Essas iguarias são mesmo de dar água na boca e podem ser degustadas em uma empresa tradicional em Goiânia: Jacareí Pastéis, que há 44 anos atua no mercado goiano. Por dois anos consecutivos – 2006 e 2007 –, o pastel oferecido na empresa foi eleito o melhor da capital pela revista ‘Veja’. Todo esse sucesso e, é claro, o sabor irresistível dos pastéis despertou nos proprietários da Jacareí um sonho: tornar-se uma franquia. Segundo um dos administradores da empresa, Anderson Yagi, para que esse sonho se tornasse realidade e não um pesadelo, o ideal foi buscar a parceria e consultoria do Sebrae em Goiás.

Hoje, a Jacareí Pastéis integra o Projeto-Piloto de Formatação de Franquias, voltado para empreendedores que desejam adquirir uma franquia e empresários que querem expandir a sua empresa por meio de franchising. O projeto faz parte do Programa Sebrae Franquias. Por meio desse projeto, o empresário recebe a consultoria de um profissional da entidade, que oferece palestras, atendimentos coletivos e individuais, cursos, publicações e outras ferramentas de apoio. No caso da Jacareí, ressalta Anderson Yagi, a empresa ainda está avaliando a viabilidade do negócio de expansão, junto com consultor do Sebrae. “Participamos de diversas reuniões com o intuito de estudar um projeto de expansão para a empresa”, ressalta.

Editora Globo

A Pezinho e Cia tem a meta de abrir 15 novas lojas no Brasil até 2011

Quem também tem o plano de expandir os negócios é a Pezinho e Cia, empresa que atua no segmento de calçados e acessórios infantis. Atualmente, a Pezinho e Cia possui quatro unidades em Goiânia – Flamboyant Shopping Center, Buriti Shopping, Rua 9 (Setor Marista) e T-38 (Setor Bueno). Segundo uma das administradoras da empresa, Alessandra Calixto, a meta para 2011 é abrir 15 novas lojas no Brasil. “E para os próximos cinco anos o nosso objetivo é chegar a 50 lojas em todo o país”, ressalta. Para que a meta seja alcançada, Alessandra diz que foi preciso procurar a colaboração do Sebrae em Goiás. “Estamos atuando junto com a entidade para formatar um plano de expansão para a empresa que seja viável e positivo”, informa.

Piloto
O Projeto-Piloto de Franquias foi criado em função da grande demanda por atendimentos presenciais gratuitos realizados na sede do Sebrae em Goiás, principalmente de empresários de micro e pequeno portes interessados no setor de franquias. Hoje, cinco empresas dos segmentos de alimentação, prestação de serviços, calçados infantis, balas e guloseimas, e fotografias integram o projeto. A expectativa, segundo o gestor do programa pelo Sebrae em Goiás, Paulo Renato Fava Adorno, é que novas empresas possam participar do processo de formatação de franquias.

Entre as fases que compõem o processo de formatação estão diagnóstico de franqueabilidade, modelagem da franquia, formatação da documentação legal, desenvolvimento dos documentos de concessão de franquias e documentação da implantação. O projeto oferece ainda orientações aos empresários, que são divididos da seguinte forma:

Palestra – Franchising: O que é, como funciona e como adquirir uma franquia. A intenção é fornecer informações e mostrar as vantagens e desvantagens do sistema e a importância de avaliar e decidir por uma franquia de forma criteriosa.

Atendimento coletivo: Como escolher e analisar o mercado. Busca oferecer informações detalhadas para a escolha da franquia mais adequada, considerando aspectos operacionais e mercadológicos.

Curso presencial: A escolha da franquia certa. Orienta o potencial franqueado a escolher, com êxito e competência, a franquia mais adequada para o seu perfil.

Cartilha: Como tornar sua empresa uma franquia. Contém informações que vão desde a avaliação de franqueabilidade ao lançamento no mercado, considerando ainda a legislação vigente.

Ferramentas de multimídia de apoio destinadas a potenciais franqueados: Avalia diferentes oportunidades de negócios, compara e escolhe a franquia que melhor se encaixa em seu perfil pessoal, profissional e financeiro.

Fonte: PEGN

Microtel Loft e Hostels implanta hotéis no Mato Grosso e São Paulo


A rede de franquia hoteleira Microtel Loft e Hostels, voltada exclusivamente para pousadas e hotéis até 60 quartos, iniciou em julho deste ano a prospecção nacional dos seus primeiros clientes. O Diretor Geral da rede, Sérgio Carvalho, acaba de anunciar que assinou um protocolo para implantação de um novo empreendimento da marca, onde as  bandeiras Microtel Collection e Microtel Select serão implantadas na cidade de Sinop, no Mato Grosso e duas unidades em São Paulo. A rede também tem intenção de implantar um empreendimento no Rio de Janeiro.
A Microtel Loft & Hostels prevê o seu crescimento impactando financeiramente em negócios na ordem de 900 milhões de reais, excluindo desta quantia os empreendimentos que se encontram em estudos ou em implantação. Unidades by Microtel poderão ser anunciadas nas cidades de Guararema, em São Paulo, região do Alto Tietê e Monte Verde, em Minas Gerais.

Fonte: Revista Hotéis

Franquias postais pedem manutenção de contratos


A Associação Nacional das Franquias Postais do Brasil pediu aos Supremo Tribunal Federal que mantenha a vigência dos contratos entre a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e as agências franqueadas. Uma Ação Declaratória de Constitucionalidade relativa à Lei de Franquia Postal, que regulamenta a manutenção e a expansão da rede, foi apresentada ao STF.

O pedido liminar é para manter os contratos vigentes até suas regularizações, como determinam os artigos 6º, incisos III e IV, 7º, parágrafo único, e 10º. Assim como os dispositivos, também é questionado o Decreto 6.639/2008. Segundo a associação, sua promulgação “alterou a natureza jurídica do contrato de franquia postal”. O resultado seria um novo modelo de contratação “sem qualquer base ou estudo de viabilidade”.

A inicial da ADC aponta a existência de diversas ações judiciais em trâmite tratando sobre o mesmo tema: a inconstitucionalidade da atual legislação, sobretudo dos artigos 6º e 7º, assim como dos editais de licitação fundados no decreto. O primeiro prevê que a rede de agências franqueadas seja mantida e expandida e o atendimento melhorado. Já o artigo 7º afirma que os contratos em vigor em 27 de novembro de 2007 valem até a entrada em vigor das franquias contratadas de acordo com a nova lei, conferindo à ECT um prazo de 24 meses para concluir todas as novas contratações.

“Em razão de distorções jurídicas e interpretações equivocadas, ocorreram violações a preceitos fundamentais e tem-se deflagrado um verdadeiro terrorismo acerca de um apagão postal, proveniente inclusive de uma data errada”, sustenta a Associação. Com informações da Assessoria de Comunicação do STF.

Fonte: http://www.conjur.com.br

3G começa a comprar ações da Burger King


Valor Online – 17/09/2010 08:16

SÃO PAULO – A Blue Acquisition Sub, uma controlada do fundo 3G Special Situations Fund II, deu início ontem ao processo de oferta pública para a compra das ações da Burger King, ao preço de US$ 24 o papel. A oferta pública se estende até o dia 24 de outubro.No dia 2 de setembro, a 3G Capital anunciou que havia fechado um acordo para comprar a Burger King por cerca de US$ 4 bilhões. A 3G Capital tem os empresários brasileiros Jorge Paulo Lemann, Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira entre seus principais sócios. O trio participa do capital da AB InBev, a maior cervejaria do mundo.

O preço de US$ 24 por ação representa um prêmio de 37% se for considerado o valor médio do papel nos últimos três meses. Ontem na Bolsa de Nova York, a ação da Burger King subiu 0,34%. Em setembro, a alta é de 45% (ver gráfico). A Burger King é a segunda maior rede de lanchonetes do mundo. Deve faturar R$ 2,5 bilhões neste ano. Tem 12 mil unidades, em 76 países. O McDonald’s, líder do setor, faturou US$ 22,7 bilhões no ano passado.

(Valor)

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 282 outros seguidores